Transbarroco

 

Filmado no Rio de Janeiro, Ouro Preto, Mariana e Salvador, o filme Transbarroco regressa ao Barroco como o tema nuclear do universo referencia da artista Adriana Varejão.

 

TRANSBARROCO Screen Shot

 

 

Transbarroco é uma obra que exige atenção especial porque se trata de uma abordagem acerca, não apenas da ampliação do período conhecido como barroco, mas também de núcleos simbólicos e de linguagens que se tornaram palpáveis ao longo do tempo engendrando forma, cor e ritmo na cultura e no corpo do homem brasileiro.

Adriana Varejão, ao criar o termo transbarroco propõe um atravessar dinâmico que captura Portugal, China, África, América, em sons, cores, formas, falas, textos, imagens, fragmentos temporais que exclamam a sua presença viva no quotidiano do Brasil: Tudo é mestiço.

O português, o índio, o negro e depois os mestiços, os pardos, os mamelucos, os cafuzos, os mulatos, e todos os outros que vieram em ondas migratórias e que se deixaram entrever em mestiçagens fabulosas e inéditas e tenderam também a precipitar esse ritmo: do corpo à fala, da fala à escrita; do corpo à ginga, da ginga à dança, da dança à música, da música à dança e ao carnaval, à teatralidade, à eloquência física e ao repique sonoro dos tambores, baianos, mineiros, cariocas, manauaras, capixabas, paulistas, em mestiçagens visuais e sonoras cuja classificação é cada vez mais difícil, porque mais cores se sucedem e mais linhas sinuosas serpenteiam o espaço e crescem e se multiplicam. Contudo, não há um ponto preciso e definido, há sim legítimos modos de conexões de linguagem que se vêm refazendo de longe.

Entretanto é importante considerar que a artista vê nessa formação a mestiçagem e vê mestiçagem no barroco, por essa razão e pelo barroco se ter estendido por longa data no Brasil é que os seus códigos talvez tenham adquirido relevância física na cultura, na arte e mesmo no nosso modo de projetar o ser, como uma variável em espiral que aparece como forma de expressão.

 

Adaptado e editado a partir do texto de Alberto Saraiva

 

 

Ficha técnica

curadoria curator Delfim Sardo
produção production Círculo de Artes Plásticas de Coimbra
montagem assembly Círculo de Artes Plásticas de Coimbra
agradecimentos especiais special thanks to José Bernardes

Artistas

Adriana Varejão


Curadores

Delfim Sardo


Espaços

15 | Biblioteca Joanina


Data início

31/10/2015


Data fim

29/11/2015


Informação adicional

9h30-10h 17h-17h30

Bilhetes