Encriptar, revelar. Uma gruta e uma clareira

Juntam-se obras dos dois artistas, uma de Francisco Tropa proveniente da colecção de António Albertino e outra de Alberto Carneiro, escolhida por si a pensar numa articulação com aquela.A exposição procura assim que obras pré-existentes, com autonomia própria, e que se tornam vizinhas no local da exposição, se recontextualizem.

 

Encriptar, revelar | Alberto Carneiro e Francisco Tropa © Jorge Neves
Encriptar, revelar | Alberto Carneiro e Francisco Tropa © Jorge Neves

 

tropa com carneiro no chiado (1 de 1)
Visita de Alberto Carneiro e Francisco Tropa ao Museu Municipal de Coimbra _ Edifício Chiado (fotografia de Jorge Neves)

 

 

Na exposição da bienal Anozero (2015) em Coimbra, as obras de Francisco Tropa e Alberto Carneiro juntam-se à curadoria de Carlos Antunes, director do CAPC (Círculo de Artes Plásticas de Coimbra) e da bienal, que escolheu uma obra de Francisco Tropa proveniente de uma das mais importantes colecções de arte da cidade e convidou Alberto Carneiro a pensar numa obra que se articulasse com aquela.
O encontro das obras, em exposição no edifício Chiado, surge inesperado porque enquanto Tropa procede a uma espécie de cifra constante da realidade, como que operando na recuperação de uma dimensão mágica perdida, Carneiro parece insistir no seu desvelamento. Para Tropa, parece urgente restituir a magia à sociedade contemporânea, despida dos modelos mágico-religiosos, podendo a arte voltar a trazê-la de novo à vida. E em Carneiro, parece haver uma espécie de deciframento dessa operação sensível e intelectual, poética e artística, que distingue os humanos dos outros seres vivos e lhes confere capacidade de representação. Apesar de diferentes na sua concepção, formas e materiais, pode dizer-se que as duas obras têm em comum o facto de se apresentarem como dispositivos para reflectir sobre a arte e sobre o mundo, ampliando os sentidos da realidade através da representação artística, procurando questionar a natureza do acto criativo e o papel do artista.

 

Sara Antónia Matos, excerto do texto do Catálogo

 

 

Ficha técnica

curadoria curator Laboratório CAPC
co-produção co-production Círculo de Artes Plásticas de Coimbra,
Museu Municipal de Coimbra – Edifício Chiado

montagem assembly Círculo de Artes Plásticas de Coimbra, Domingos Fonseca
agradecimentos especiais special thanks to Ana Leal, António Albertino, Catarina Rosendo, Cristina Cunha, Domingos Fonseca, José Maria Ferreira

Artistas

Alberto Carneiro

Francisco Tropa


Data início

31/10/2015


Data fim

29/11/2015


Informação adicional

ter-dom 10h-13h 14h-18h

Bilhetes