Um lance de dados jamais abolirá o acaso / Marcel Broodthaers

A celebração do acaso é um dos centros do trabalho de Marcel Broodthaers. Un coup de dés jamais n’abolira le hasard, édition d’ après le poème de Stéphane Mallarmé (1969) sugere o que é exterior ao poema e é de improvável captura. La pluie (projet pour un texte) (1969), conduz o lance de dados a uma região de implicação extrema pela abertura das intencionalidades que a linguagem e a escrita implicam.

 

 

Podemos dizer que a celebração do acaso é um dos centros do trabalho de Marcel Broodthaers. La pluie (projet pour un texte) de 1969 prende-se com uma abertura das intencionalidades que a linguagem e a escrita circunscrevem à linha exterior que uma certa codificação da natureza reclama. É como se fosse ainda mais longe ao dissolver a própria linguagem num exercício gráfico que se abre e se precipita à/na contingência. A chuva que cai e escreve/colabora, como se pudéssemos antropomorfizar tal operação, repõe a inscrição do caos na ordem, dissolve literalmente a autoria, o sujeito, o si, o ego, moi, self. Broodthaers radicaliza esse gesto de abertura, em que a obra é o resultado das codificações do acaso, dos sobressaltos e das intermitências da natureza. É a linha exterior das práticas artísticas modernas, inaugurada por Mallarmé, que parece assumir a sua generosa reiteração. Essa linha exterior é o resultado de uma captura do que compromete a organicidade da obra de arte.
O argumento que aqui se impõe faz apelo a uma contra-modernidade, a modernidade tomada pelo seu reverso. Isto porque a grande narrativa moderna não é esta, mas é fundamentalmente a do controlo das variáveis, a do laboratório. Mas ao laboratório outros fizeram opor máquinas insólitas, abertas ao acaso e à complexidade. De outro modo ainda, à redução conceptual outros opuseram a ampliação não controlada, a captação indeterminada, a explosão e libertação das diferenças.

 

Luís Quintais

 

Ficha técnica

curadoria curator Laboratório CAPC
produção production Círculo de Artes Plásticas de Coimbra
montagem assembly Círculo de Artes Plásticas de Coimbra
agradecimentos especiais special thanks to José Bernardes, Maria Gilissen, MACBA Foundation

Artistas

Marcel Broodthaers


Data início

31/10/2015


Data fim

29/11/2015


Informação adicional

9h30-10h 17h-17h30

Bilhetes