Anozero 2015

Anozero: Bienal de Arte Contemporânea de Coimbra

Anozero: Bienal de Arte Contemporânea de Coimbra é uma iniciativa proposta pelo Círculo de Artes Plásticas de Coimbra, organizada em parceria com a Câmara Municipal de Coimbra e a Universidade de Coimbra, que assume como objectivo primordial promover uma reflexão sobre a recente circunstância da classificação da Universidade de Coimbra, Alta e Sofia como Património Mundial da Humanidade pela UNESCO.

 

Surgindo como tentativa de compreensão do significado simbólico e efetivo desta nova realidade da cidade – ser detentora de Património Mundial – a bienal propõe um confronto entre arte contemporânea e património, explorando os riscos e as múltiplas possibilidades associadas a este património cultural que agora é da Humanidade.

 

A Anozero é portanto um programa de acção para a cidade que, através de um questionamento sistemático sobre o território em que se inscreve, poderá contribuir para a construção de uma época cultural atuante e transformadora, em Coimbra e na Região Centro.

 

 

Anozero: Um lance de dados

A primeira edição da bienal Anozero terá lugar em Novembro de 2015 e prevê a realização de um conjunto de iniciativas curatoriais em espaços classificados e outros lugares de relevante valor patrimonial e cultural da cidade de Coimbra.

 

Para tal, aposta na programação de cerca de 30 atividades delineadas por três áreas de atuação: exposições de arte contemporânea com alguns dos mais relevantes artistas nacionais e internacionais; acções de mediação, sensibilização e formação de públicos para a cultura e as artes através da ação do projeto educativo; programação de actividades paralelas multidisciplinares no contexto da vida artística e cultural contemporânea.

 

Com o título “Um lance de dados”, a primeira edição do Anozero assenta na ideia da circunstância efémera do mundo. Adoptando como mote o poema “Um lance de dados jamais abolirá o acaso” (1897), do poeta simbolista Stéphane Mallarmé, o projecto converge sobre a problemática do transitivo, sobre o ciclo de vida e morte das actividades humanas. Tal como o poema de Mallarmé, esta primeira edição do Anozero escreve-se num jogo de binómios inerentes à condição humana: construção / destruição; efémero / perene; criação / interpretação; possibilidade / impossibilidade; totalidade / fragmento.

 

 

Equipa

Team
ORGANIZAÇÃO Organisation
CAPC – Círculo de Artes Plásticas de Coimbra
Câmara Municipal de Coimbra
Universidade de Coimbra

 

APOIO À PROGRAMAÇÃO Programme Partners
LINHAS – Uma plataforma do Círculo de Artes Plásticas,
Jazz ao Centro Clube e Casa da Esquina

 

CURADORIA GERAL Chief Curators
Carlos Antunes
Luís Quintais
Pedro Pousada

 

CURADORIA EXECUTIVA Executive Curator
Luísa Santos

 

IDENTIDADE ANOZERO Visual Identity
FBA.

 

DIRECÇÃO CRIATIVA Artistic Direction
João Bicker
Joana Monteiro

 

FOTOGRAFIA Photography
Jorge das Neves

 

PROGRAMA EDUCATIVO Educational Program
Magda Henriques (coord.)
Catarina Pires

 

VOLUNTARIADO Volunteering
Margarida Camacho (coord.)

 

COORDENAÇÃO DE PRODUÇÃO Head of Production
Désirée Pedro

 

PRODUÇÃO Production
Ana Felino
Maria Eduarda Duarte
Mariana Abrantes
Mariana Roque
Pedro Sá Valentim
Teresa Baptista (UC)
Isabel Gaspar (CMC)

 

APOIO À PRODUÇÃO Production support
Afonso Portela
João Peralta

 

MONTAGEM Art handling and storage
Laurindo Marta (coord.)
Hamilton Francisco
Ivone Antunes
Jorge das Neves
Luís Sequeira
Paulo Castanheira

 

EDIÇÃO E REVISÃO DE TEXTOS Edition and revision
Maria Eduarda Duarte (coord.)
Ana Pires Quintais
Inês Teles Carvalhal
Matilde Correa Mendes
Pedro Sá Valentim
Pedro Treno
Olivia Welch

 

TRADUÇÃO Translation
Diana Taborda
Sandra Guerreiro

 

ASSESSORIA DE IMPRENSA Press
Isabel Campante / Ideias Concertadas

 

IMAGEM E SOM Image and Sound
Diogo Pereira

 

SITE
SITE (coordenação)
CVDLab/CMS/CISUC/UC
João Bicker
Penousal Machado

Webdesign e programação
CVDLab/CMS/CISUC
Evgheni Polisciuc
João Miguel Cunha

 

Identidade Visual

Identidade Visual