© Alain Hatat
© Alain Hatat

Manon Harrois

Manon Harrois nasceu em 1988, em França. Vive e trabalha em Troyes. A sua formação foi feita na ENSAAMA, em Paris. Venceu o prémio de investigação Jean Walter Zellidja, atribuído pela Academia Francesa, e passou um ano no Deserto do Saara, em Níger, com as comunidades nómadas dos Tuaregues e dos Fulas.

A artista integrou várias residências artísticas: Artistes en Résidence, Clermont-Ferrand (2017); Sharjah Art Fondation, Emirados Árabes Unidos (2016); CAMAC Art Centre, Marnay-sur-Seine (2016); MAC, Valdivia (2015); CAC Passages, Troyes (2014); Residency Unlimited, Nova Iorque (2014).

O seu trabalho marcou presença em locais como CAMAC, Marnay-sur- Seine (2016); CNCM Césaré, Reims (2016–2017); Cryptoportique, Reims, e Parc Naturel de la Montagne de Reims, Pourcy (2015); Galerie Premier Regard, Paris, CAC Passages, Troyes, e MAC, Valdivia (2014); The Window, Paris (2013); CCFN Jean Rouch, Niamey (2011). De entre as diversas performances e trabalhos coletivos, destacam-se Jeune Création, Galerie Thaddaeus Ropac Paris-Pantin (2016); Nema Tog Podruma 5 Gramme Vrijdag, Antuérpia (2015); ART IS HOPE pour AIDES, Piaza, Paris (2014-2015); Bienal Deformes, Santiago do Chile (2014).

O trabalho de Manon Harrois começou a ser colecionado por Blake Burn (EUA), Jimmy Traboulsi (Líbano), Germain Viatte (França) e Gilles Fuchs (França).

http://www.premierregard.com/manon-harrois/