Cálice. Ensaio, meta-ensaio e pintura

Em cada performance-leitura, Isabel Carvalho cria oportunidade para que, dentro do espaço físico que lhe é designado, emerja um espaço comum de reflexão. Através do texto que é lido, a artista propõe linhas de pensamento que gradualmente actuam sobre os ouvintes, os quais, ao segui-las, poderão expandir o espaço partilhado com as suas próprias reflexões. Ao valorizar um conjunto de opções, a artista sublinha a importância do momento (presente): o texto é construído tomando como ponto de partida os dados recolhidos por ocasião do convite e é apenas lido uma vez, não sendo posteriormente facultado ou apresentado em qualquer outro formato. Esta fidelidade ao momento apresenta um dos traços mais constante destas performances-leituras – o risco de fazer colidir um certo tipo de experimentalismo levado a cabo performativamente (através dos dados lançados pela leitura) com as expectativas criadas em relação à experiência específica da performance, tal como tem sido entendida.

A (1)

Performances

Isabel Carvalho


Data início

15/11/2015


Data fim

15/11/2015


Informação adicional

17h30