Delfim Sardo apresenta Bienal Anozero 2017


Curar e Reparar / “Healing and Repairing”


A bienal de arte contemporânea de Coimbra Anozero iniciou-se, em 2015, com Mallarmé no seu subtexto. Um lance de dados foi o início de um processo de reequacionar a cidade e a arte na cidade, a sua ligação local e a possibilidade de inscrição num território mais vasto. Para 2017, num mundo que reclama sistematicamente ser sarado das feridas que permanentemente abre, a possibilidade de pensar em questões que se dirigem claramente para a máquina avariada do mundo, como para a fragilidade do corpo, a incerteza da economia, a necessidade de permanente compensação, surge com uma urgência até agora quase inaudita. Reparar é uma palavra de muitas significações: tanto quer dizer acautelar como compensar, arranjar como ver. Simbolicamente possui uma conotação jurídica, portanto social. E, simultaneamente, uma vertente pessoal, como um restauro; ou mesmo uma vertente urbana, social e coletivamente ativa. É deste mundo doente, como disse Tony Judt, que é necessário tratar. Curar. E a arte não é, certamente, o melhor processo de cura e reparação, porque se situa no campo da ficção, do projeto de reparação e cura. No entanto, numa altura em que os processos artísticos parecem viver tão fascinados com a nostalgia de uma radicalidade perdida e que, portanto, precisa de ser performatizada recorrente e repetitivamente, talvez encenar a cura, expor a reparação, a sutura, a costura que une, corresponda a uma necessidade do nosso tempo. Não se trata, portanto, de louvar a piedade da cura, mas de reclamar a necessidade de um pensamento curativo, hospitaleiro. De tentar encontrar lugares que pertencem tanto à esfera do indivíduo como à dimensão coletiva, à política como à economia, à pequena história das pequenas comunidades como às grandes necessidades de recuperação das cidades, para encontrar situações simbólicas que reinventam a poética da cura, a brutalidade da compensação, a justiça da reparação, contra a radicalidade e a sua moralidade, o seu puritanismo.

Pressbook Anozero 2015



ARTEINFORMADO escolheu curador do Anozero como um dos 15 curadores de 2015 no espaço ibero-americano


Carlos Antunes, um dos responsáveis da primeira edição do Anozero: Bienal de Arte Contemporânea de Coimbra, é um dos 15 nomes da lista de curadores de 2015 da Arteinformado. A publicação divulgou recentemente as suas escolhas, onde reuniu aqueles que considerou os “mais activos e destacados protagonistas curatoriais no espaços latinoamericano e português durante o ano de 2015”. O director do Círculo de Artes Plásticas de Coimbra (CAPC), em conjunto com Luís Quintais e Pedro Pousada, foi responsável pela primeira edição do Anozero que teve como território privilegiado de intervenção a Península Ibérica, ambicionando alargar em futuras edições o espaço geográfico da sua ação. E é nesse sentido que Carlos Antunes realça que o importante “a reter [desta notícia] é a forma como a Bienal - na verdade este é um prémio da Bienal - começa já a conquistar o território de línguas ibéricas, que era desde o início o seu território estratégico, fortalecendo um eixo nascente poente, contrário ao esmagador eixo Norte-Sul". Com o título “Um lance de dados”, a primeira edição do Anozero, assumiu como objectivo primordial a reflexão sobre a classificação da Universidade de Coimbra, Alta e Sofia como Património Mundial da Humanidade pela UNESCO. Entre 31 de Outubro e 29 de Novembro, a Bienal decorreu em mais de 20 espaços da cidade de Coimbra, onde foi possível ver as obras de mais de 40 artistas nacionais e internacionais e assistir a um vasto conjunto de iniciativas paralelas. Anozero: Bienal de Arte Contemporânea de Coimbra é uma iniciativa proposta pelo Círculo de Artes Plásticas de Coimbra, organizada em parceria com a Câmara Municipal de Coimbra e a Universidade de Coimbra. A segunda edição, a decorrer em 2017, com o título “Curar e Reparar” tem Delfim Sardo como responsável curatorial.

LUSA: “Neste museu os objectos podem ser propostos por qualquer um”


O jornalista João Gaspar/ LUSA esteve na Conferência de Imprensa de apresentação do programa para o Museu do Francisco Tropa onde foram anunciados os nomes de Carlos Antunes, Nuno Porto e Laurindo Marta para director, curador e conservador, respectivamente. O P3 publicou o texto.

Notícias UC: “Curar e Reparar é o tema da Bienal de Arte Contemporânea em 2017”


O Notícias UC esteve na conferência de imprensa de apresentação do curador e do tema da edição de 2017 do Anozero. Para ler aqui.

Uma exposição do Anozero nas escolhas do Público


O Ipsilon/Público colocou "Família" de Rui Chafes e Pedro Costa no segundo lugar das exposições do ano. A justificação



“Nada melhor para celebrar um quarto de século de um Curso de Arquitectura numa Universidade do que olhar para a Arquitectura da Cidade que a acolhe”, José António Bandeirinha



“CAFÉ. Num Lugar da memória”


A primeira iniciativa posterior ao final do Anozero: Bienal de Arte Contemporânea de Coimbra, é uma exposição integrada na programação da Mostra Espanha 2015 que assinala a continuidade da dimensão internacional em que a Bienal apostou.

As exposições que continuam


Até 12 de Dezembro.


Anozero: Bienal de Arte Contemporânea de Coimbra Anozero: Bienal de Arte Contemporânea de Coimbra é uma iniciativa proposta pelo Círculo de Artes Plásticas de Coimbra, organizada em parceria com a Câmara Municipal de Coimbra e a Universidade de Coimbra, que assume como objectivo primordial promover uma reflexão sobre a recente circunstância da classificação da Universidade de Coimbra, Alta e Sofia como Património Mundial da Humanidade pela UNESCO.


29 de Novembro, domingo, último dia


ÚLTIMOS DIAS mais de 40 artistas


TSF: Um “Speaker’s Garden” em Coimbra


Miguel Midões/ TSF esteve numa das sessões do Speaker's Garden. Para ler e ouvir aqui.

Jornal I: propostas para a última semana


Miguel Branco propões oito exposiç~eos para a última semana da primeira edição do Anozero. Para ler aqui.


Qual é o melhor percurso para o Anozero?


Uma aplicação com o Anozero


Quer saber quais são as exposições do Anozero e onde estão? Quer saber como chegar lá? E quanto tempo vai demorar o percurso, a pé ou de carro, entre exposições?

HOJE: Anozero no Ipsílon / Público


"Descobrir um território, que se faz rua a rua, casa a casa, museu a museu: caminhar pela primeira edição da Bienal de Coimbra, descobrindo, atrás de uma porta ou dentro de um espaço escondido, o que não esperava sequer vislumbrar." A Luisa Soares Oliveira visitou o Anozero e sobre o que viu há muito para ler nestas duas páginas do Ipsílon / Público de hoje.

o que ainda falta…


... para além das exposições? Tome nota do que ainda pode ver e fazer no Anozero.

LUSA: Pedro Vaz vai estar a pintar o Jardim Botânico durante um ano


O jornalista João Gaspar/ LUSA esteve na Conferência de Imprensa de apresentação do espaço "Speaker's Garden" onde estiveram Clara Almeida Santos, Vice-Reitora da UC; Carina Gomes, Vereadora da CMC; António Gouveia, Director do Jardim Botânico da UC, e Carlos Antunes, um dos curadores da Bienal. O texto, onde é dado destaque à obra "Pentimento" de Pedro Vaz, integrada na exposição LINK, está disponível aqui.

HOJE, 16 horas: Anselmo Borges a falar de Filosofia no Speaker’s Garden


Destaques 18 de Novembro


18 de Novembro, quarta-feira, 18h30 e 21h30 Colégio da Graça

Newsletter Anozero


A newsletter Anozero é uma forma privilegiada de se manter a par dos destaques da Bienal. Ao subscrever, terá a oportunidade de acompanhar de perto todas as novidades, recebendo em primeira mão informações sobre as exposições, concertos, cinema, conversas, visitas e performances, e ainda as mais recentes notícias sobre esta iniciativa.

Encarte Anozero’15


Jornal de Notícias: “Bienal rente ao património”


Carina Fonseca / Jornal de Notícias falou com Carlos Antunes sobre o Anozero e o artigo saíu ontem [15 de Novembro, domingo].


Diário As Beiras: “Por Dentro das Palavras”


Lídia Pereira / Diário As Beiras escreveu na passada quinta-feira sobre "Por Dentro das Palavras", uma proposta do Projecto Educativo do Anozero que junta para uma conversa na tarde de domingo, 15 de Novembro, a partir das 15 horas, António Pinto Ribeiro, Hélia Correia e Laborinho Lúcio.

Entrevista da Contemporânea aos curadores Anozero


A Contemporânea no dossiê especial que dedicou ao Anozero, fez uma entrevista aos curadores gerais. Para saber a resposta a

DESTAQUES 9 a 15 de Novembro


Notícias UC: “700+25 mostra a nova face de Coimbra”


Domingo, 8 de Novembro, 15 horas: visita guiada com João Maria André e José António Bandeirinha


João Maria André e José António Bandeirinha efectuam hoje, a partir das 15 horas, uma visita guiada a vário edifícios da Universidade, no âmbito de Risco Interior. A exposição, com curadria de Susana Lobo, mostra o trabalho realizado, entre os anos 40 e 70, na área da arquitetura de interiores e do design de equipamento, para a Cidade Universitária de Coimbra contribuindo para uma leitura da evolução daquelas práticas disciplinares em Portugal no século XX, a par das condições sociais e políticas da época.

RUC: “Visitas 700+25 começaram”


A exposição 700+25. Arquitectura na UniverCidade prevê visitas às obras. A RUC acompanhou a primeira destas visitas que decorreu ontem. Podem ouvir a reportagem de Isabel Simões aqui. O percurso de hoje passa pelas Residências do Pólo III, Faculdade de Farmácia, ICNAS e Indoor10. O local de encontro é na Praça da República, às 14h30. Recordamos que é possível participar em visitas guiadas a duas exposições do Anozero, “700+25. Arquitectura na UniverCidade” e “Risco Interior: O desenho de mobiliário na Cidade Universitária de Coimbra“. As marcações devem ser feitas para o mail visitas.anozero@gmail.com e na resposta de confirmação é detalhado o local de encontro e percurso.

Anozero no Portugal em Direto da RTP


Um dia com três concertos Anozero


José Miguel Pereira, diretor do Jazz Ao Centro Clube, esteve no programa Culturama/RUC a apresentar a programação musical do Anozero. A entrevista, que pode ser ouvida aqui, é conduzida por Teresa Borges.

Visitas guiadas a exposições


É possível participar em visitas guiadas a duas exposições do Anozero, "700+25. Arquitectura na UniverCidade" e "Risco Interior: O desenho de mobiliário na Cidade Universitária de Coimbra". As marcações devem ser feitas para o mail visitas.anozero@gmail.com, na resposta de confirmação é detalhado o local de encontro e percurso.

Abílio Hernandez: “Não há cinema sem palavra”


Texto de Abílio Hernandez sobre o ciclo "A Palavra",  que começa amanhã e acompanha o Anozero todas as quartas-feiras. Todas as informações sobre os filmes e quem os vai comentar estão aqui.

RTP2: “Coimbra é uma cidade com uma imensa tradição na promoção das vanguardas”


O Anozero: Bienal de Arte Contemporânea de Coimbra foi apresentado por Carlos Antunes, um dos curadores da iniciativa, no Jornal 2 / RTP de ontem. Para ver aqui a partir dos 24'50.

João Gabriel Silva “…tornar Coimbra um ponto de referência para o país e para o mundo da promoção da arte contemporânea.”


A jornalista Ana Margalho /Diário de Coimbra esteve na inauguração oficial do Anozero.

Destaques 1 de Novembro


1 de Novembro, domingo, 14h30 Museu Nacional Machado de Castro

Público: “Pedro Cabrita Reis monta a casa em Coimbra”


Sérgio Costa Andrade /Público escreve sobre uma das exposições da Bienal que inaugura hoje. Para ler aqui.

UCV: Noite de Halloween com “The Hollow Inn” inaugura Bienal de Arte Contemporânea de Coimbra


Preguiça: “… que o importante, perante o mundo e a nossa condição de cidadãos, é fazer acontecer e não desistir. Esta bienal irá contribuir para que Coimbra mude, alargue o seu espectro de conhecimento e ganhe uma visão mais cosmopolita do mundo”


Fotografia de Bruno Pires / Preguiça Magazine

Jornal de Letras: ” As cidades têm que ser o que vão ser e não apenas o que foram”


um lance de dados


Calendário Programa de Música


Para não perder as propostas do Programa de Música do Anozero, pode consultar as datas directamente aqui ou importar os eventos para o seu qualquer calendário a partir deste ficheiro [Anozero-musica-ics].

Um mapa para o Anozero


Para saber onde estão as iniciativas da Bienal e o que está em cada um dos locais, pode consultar este mapa.

Calendário Programa de Cinema


Para não perder as propostas dos dois ciclos de cinema que decorrem no Anozero (Ciclo A Palavra, com curadoria de Abílio Hernandez Cardoso, e As Escolhas de Julião Sarmento), pode consultar as datas directamente aqui ou importar os eventos para o seu qualquer calendário a partir deste ficheiro [Anozero'15 | Cinema].

Calendário das Conversas


Para não perder as conversas do Projecto Educativo, nem do ciclo "O Estado da Arte" e ainda as que decorrem no âmbito do Micro-Teatros, pode consultar as datas directamente aqui ou importar os eventos para o seu qualquer calendário a partir deste ficheiro [Anozero'15 | Conversas].

Diário de Coimbra: “Bienal Anozero junta 40 artistas em Coimbra”


LUSA: “Bienal de Arte de Coimbra arranca no dia 31 com mais de 40 artistas”


O jornalista João Gaspar/ LUSA esteve hoje na Conferência de Imprensa de apresentação do Anozero, onde estiveram presentes o Presidente da Câmara Municipal de Coimbra, o Reitor da Universidade de Coimbra e os curadores do evento (Pedro Pousada, Carlos Antunes e Luís Quintais). Para ler aqui. "A primeira edição da bienal de arte contemporânea de Coimbra anozero, que arranca no dia 31 com a presença de mais de 40 artistas nacionais e estrangeiros, ambiciona uma profissionalização da estrutura para garantir futuras edições. "A bienal é um "desafio provocador" à cidade de Coimbra, que viu a inscrição da Alta, Sofia e Universidade como património mundial, e que procura dialogar com esse mesmo património, evitando que a cidade fique confortável com a classificação, explicou o diretor do evento, Carlos Antunes, que falava durante a conferência de apresentação do evento, que decorreu hoje à tarde.

Projeto Educativo LINHAS


“A arte destrói, para reconstruir, para criar outra vida…”

pedrocabritareis esec

guia rápido para as exposições


Já estamos no ar!

IMG_3211

“Bienal Anozero com Matt Mullican e Francisco Tropa”

beiraspormenor 14 out 2015

O primeiro ensaio de “Uma Pequena História de Coimbra: entre o presente e o passado e o presente”

“Francisco Tropa, Matt Mullican e Lawrence Weiner na bienal de arte de Coimbra”


O jornalista João Gaspar/ LUSA antecipou ontem (12 de Outubro) uma parte da programação da Anozero. Para ler aqui.

INFO Bilhetes


Bilhetes

Entrevista Diário As Beiras


Carlos Antunes, director do Círculo de Artes Plásticas de Coimbra, foi entrevistado por Lídia Pereira para o Diário As Beiras.

Colecionismo


“ENCONTRO SOBRE COLECIONISMO: Arte e Mercado em Espanha e Portugal” vai decorrer na tarde de 1 de novembro, domingo, na Biblioteca Joanina, em Coimbra. Na sessão de abertura, marcada para as 17 horas, está Carlos Antunes, co-curador da Anozero, e Faustino Diaz Fortuny, Subdiretor Geral de Promoção de Indústrias Culturais e Mecenato, da Secretaria de Estado de Cultura de Espanha. A participação é gratuita, com inscrições no Círculo de Artes Plásticas de Coimbra (CAPC). Mais informação sobre o evento pode ser encontrada aqui. A relevância ao nível económico da arte contemporânea, num universo onde circulam agentes, artistas, galeristas, comissários de exposições e colecionadores, justifica a realização deste encontro que, no âmbito da primeira edição da bienal Anozero e da programação da Mostra Espanha 2015, junta diversos atores ibéricos destas áreas. A Anozero tem precisamente como território privilegiado de intervenção a Península Ibérica e, nesta primeira edição, concentra-se em Portugal e Espanha, embora ambicione alargar em futuras edições o espaço geográfico da sua ação. Tendo como um dos seus eixos “a problematização da relação com o património, como usá-lo e habitá-lo de forma desassombrada”, de acordo com declarações de Carlos Antunes, “interessa refletir sobre os mecanismos que garantem a salvaguarda desse património, tenha ele 500 anos ou menos de 50”. Os colecionadores, enquanto “ativadores desse processo de salvaguarda e defesa das obras, merecem o maior respeito e, também por isso, proporcionamos na Anozero o espaço para discutir as questões que os ocupam, partilhando experiências”, continua o co-curador da bienal. Carlos Antunes considera ainda que do “ENCONTRO SOBRE COLECIONISMO: Arte e Mercado em Espanha e Portugal”, com a presença de alguns dos mais relevantes colecionadores ibéricos, vão resultar “pistas interessantes para o futuro do colecionismo”. O encontro está organizado em duas mesas redondas, onde se debate desde a tomada de decisão de colecionar, à formação e evolução dos critérios em que assentam as escolhas, apresentam-se experiências inovadoras na área e conhecem-se os cuidados na organização e conservação das coleções, questões do mercado e da criação de valor, entre outros temas. Numa primeira parte, com moderação de Chema de Francisco, diretor da feira Estampa e dos Encontros Colecciona, o tema é “Iniciação e incentivos do colecionismo” e vão estar os colecionadores Cristina Castañer, António Lobo e Maura Marvão a que se junta António Veiga Pinto, Presidente da ADIAC - Associação para a Difusão Internacional de Arte Contemporânea). A partir das 19 horas, para abordar questões relacionadas com a formação e desenvolvimento das coleções estão colecionistas e responsáveis de coleções, numa conversa moderada por António Albertino. “ENCONTRO SOBRE COLECIONISMO: Arte e Mercado em Espanha e Portugal” é uma organização da Secretaria de Estado de Cultura do Governo de Espanha, Bienal Anozero (Universidade de Coimbra, Câmara Municipal de Coimbra e Círculo de Artes Plásticas de Coimbra) e da Slowtrack.

“save the date”: 31 de Outubro


Anozero é uma iniciativa do Círculo de Artes Plásticas de Coimbra, organizada em parceria com a Câmara Municipal de Coimbra e a Universidade de Coimbra. A primeira edição assume como principal objetivo dar proeminência à distinção da Universidade de Coimbra, Alta e Rua da Sofia como Património da Humanidade pela UNESCO.