Dominique Gonzalez-Foerster

O trabalho de Dominique Gonzalez-Foerster utiliza todo o tipo de dispositivos, desde o filme e vídeo até às mais diversas formulações como a literatura, a arquitetura, a criação de situações ambientais, o som ou a música. Trata-se de um trabalho denso, que se debruça no universo cultural contemporâneo a partir de modelos criativos matriciais, como o cinema, que implicam o envolvimento de grandes equipas. De facto, os processos de colaboração artística têm sido essenciais no percurso de Dominique Gonzalez-Foerster.

A obra Promenade, que aqui apresenta, é uma peça sonora que evoca uma chuva tropical e que propõe ao espectador um processo imersivo, de deslocação no espaço e no tempo, como se atravessasse o interior de um plano-sequência cinemático.

Promenade, 2007 Instalação sonora, 16 altifalantes, 8 ampli cadores stereo, 8 Fotografia Jorge Das nevesequalizadores stereo e 8 MPEG players (loop). Cortesia do Instituto Inhotim, Brasil.

Promenade, 2007
Instalação sonora, 16 altifalantes, 8 ampli cadores stereo, 8
Fotografia Jorge Das nevesequalizadores stereo e 8 MPEG players (loop).
Cortesia do Instituto Inhotim, Brasil.