Jill Magid

O trabalho da artista norte-americana Jill Magid está profundamente ligado à sua experiência de vida, cujas fronteiras com a arte procuram ser dissipadas pelo seu processo artístico. Através da sua prática baseada essencialmente em performance, Magid estabeleceu relações próximas com uma série de organizações e estruturas de autoridade com o objetivo de explorar as tensões emocionais, filosóficas e jurídicas entre o indivíduo e as chamadas instituições de «proteção», tais como agências de inteligência ou da polícia. A artista questiona o sistema e procura interagir diretamente com ele, testando os seus limites para melhor o compreender. Para conseguir acesso e trabalhar ao lado ou dentro destas grandes organizações, Magid faz uso de particularidades institucionais e lacunas sistémicas que lhe permitem fazer contato com as pessoas «no interior» destas estruturas. O seu trabalho pode também ser caracterizado pela dinâmica da sedução — e as narrativas resultantes destes processos transformam-se em quasi histórias de amor. Para o Anozero, mostra-se um trabalho da série Ex-Voto, uma instalação que faz parte do projeto de pesquisa da artista com o complicado processo do legado do arquiteto mexicano Luis Barragán.

"Ex-Voto: Miracle of the Family", 2016–20177 Óleo sobre estanho Pintado por Daniel Vilchis "The Proposal: The Exhumation", 2016 Vídeo HD, som, 6’7’’ (loop) Fotografia de Vitor Garcia

“Ex-Voto: Miracle of the Family”, 2016–20177
Óleo sobre estanho
Pintado por Daniel Vilchis
“The Proposal: The Exhumation”, 2016
Vídeo HD, som, 6’7’’ (loop)
Fotografia de Vitor Garcia