Juan Araujo

Artista venezuelano que utiliza, sobretudo, a pintura a óleo e o desenho, Juan Araujo tem vindo a propor uma reinvenção da pintura como ferramenta de representação que, através da sua enorme liberdade metamórfica, pode produzir releituras da história da cultura, da imagem e da arquitetura, embora mantendo sempre uma conexão com uma imagem de referência — uma fotografia de arquitetura, ou um documento da cultura visual modernista.

O projeto que desenvolveu especificamente para o Anozero é um conjunto de pinturas em torno da obra de Jorge Molder, artista visual português que usa, principalmente, a fotografia num processo de autorrepresentação. Assim, Juan Araujo representou em pinturas a óleo fotografias de Jorge Molder, recriadas na sua dimensão original num processo mimético em relação à imagem de referência, mas claramente empenhado num pensamento sobre a prática da sua pintura, a sua ferramenta expressiva. Se acrescentarmos que o próprio Jorge Molder usa também frequentemente processos de citação e apropriação de imagens de outros criadores (como Paul Outerbridge ou Bill Brandt), o trabalho de Araujo é um mergulho numa mise-en-abîme de representações e citações que recupera sempre um legado para o deglutir e reconverter.

 De la serie CD III, 2017 Óleo sobre tela colado em dibond Fotografia de Jorge das Neves


De la serie CD III, 2017
Óleo sobre tela colado em dibond
Fotografia de Jorge das Neves